Pilates e a recuperação pós tratamento para o Câncer de mama

ca-mama

Para mulheres que passaram por tratamento para câncer de mama, a reabilitação visa restaurar a independência e a auto-suficiência focando na qualidade de vida. Embora as formas convencionais de exercício (fisioterapia) para as mulheres com câncer de mama têm sido estudados, um exercício complementar conhecido como Pilates  ainda não foi pesquisado na reabilitação do câncer. As terapias complementares têm por objetivo melhorar a Qualidade de Vida, abordando questões do corpo, mente e espírito, gerenciamento de sintomas e são utilizados por até 80% das mulheres com câncer de mama.

Foram verificados os efeitos dos exercícios de Pilates na amplitude de movimento (ADM) do ombro, dor, humor e função da extremidade superior (ES) em mulheres que previamente foram tratadas para o câncer de mama.

A dissecção axilar (DA) para o estadiamento do câncer de mama e aplicação de radioterapia na mama ou axila pode contribuir para uma redução na mobilidade do ombro, com uma duração de até 8 anos após o tratamento. Alguns programas de exercícios realizados no pós-operatório podem evitar a rigidez do ombro e aumentar a ADM sem levar ao linfedema. A dor no ombro, que é outro efeito colateral da DA , pode resultar da formação de fibrose pela radiação, cicatriz cirúrgica ou lesão do nervo intercostobraquial e pode persistir de meses a anos após a cirurgia, influenciando negativamente no humor e na qualidade de vida . Ansiedade, depressão, raiva e má imagem corporal são outras sequelas comuns que podem continuar, apesar da melhora da função física. O bem-estar emocional (humor) é um preditor significativo de qualidade de vida, entretanto a angústia emocional pode estar relacionada à dor pós-cirúrgica . Estudos têm demonstrado que o exercício é capaz de diminuir a ansiedade e melhorar a autoestima, o vigor e satisfação com a vida. Mulheres com a sobrevivência em longo prazo após o câncer de mama tendem a ter um estado funcional mais pobre do que as mulheres que não tiveram câncer de mama. A amplitude de movimento de ombro reduzida após a cirurgia axilar e radioterapia está relacionada com a capacidade funcional reduzida.

Exercícios de Pilates

Originalmente chamado de “Contrologia”, Pilates é uma abordagem de exercícios desenvolvidos no início de 1900 que é baseado em teorias orientais da interação corpo-mente-espirito combinados com teorias ocidentais da biomecânica, aprendizagem motora e estabilidade do tronco (core). “Espirito” engloba o bem-estar emocional e exercício corpo-mente incorpora uma internalização do movimento, com foco e atenção específica para respiração e propriocepção. Durante uma sessão de exercícios de Pilates, o esforço mental se concentra em ativar músculos específicos em uma sequência funcional e velocidades controladas, enfatizando a qualidade, precisão e controle de movimento. O número de repetições dos exercícios são baixas, com resistência geralmente sob a forma de peso do corpo ou molas . Instrutores de Pilates afirmam que a prática regular leva ao relaxamento e controle da mente, corpo reforçado e autoconhecimento, melhoria da estabilidade do tronco, uma melhor coordenação, melhor postura, maior amplitude de movimento articular, desenvolvimento muscular uniforme, e diminuição do estresse.

Já que seus defensores afirmam que o exercício regular de Pilates leva ao aumento da ADM articular (o que pode se traduzir em melhora da função da extremidade superior) e diminuição do stress, optou-se por analisar os efeitos dos exercícios de Pilates na amplitude de movimento do ombro, dor, humor e função do membro superior em mulheres que tinham recebido dissecção axilar e radioterapia para a fase I a IV do câncer de mama, no mínimo, 6 meses antes. Então a hipótese deste estudo é de que um programa de exercícios de Pilates aumentaria a ADM do ombro, diminuiria a dor, melhoraria o humor e melhoraria a função do membro superior.

Resultados

A análise visual dos dados sugere um efeito modesto do programa de exercícios de Pilates para melhorar abdução do ombro e a amplitude de movimento para a rotação externa do membro. Uma melhoria estatisticamente significativa na rotação interna e externa do ombro na extremidade superior afetada foi demonstrada para o participante com doença metastática pré-existente. Comparando os dados pré-tratamento com as pós-tratamento não foi possível observar os efeitos dos exercícios de Pilates sobre a dor, humor e dados da função da extremidade superior. Os autores do estudo atribuem como uma possível limitação da pesquisa a amostra reduzida (n=4) bem como tempo de tratamento.  Nenhum evento adverso foi experimentado.

 

Discussão e Conclusão

Devido à sua baixa intensidade e foco em repadronização neuromuscular, o método Pilates seria um ponto de partida razoável a partir do qual as mulheres poderiam gradualmente retornar às suas atividades normais após o tratamento do câncer de mama. Os participantes do estudo afirmaram que recomendariam o programa de exercícios de Pilates para outras mulheres que vivem com câncer de mama, sugerindo que eles encontraram o programa aceitável.

Portanto. os exercícios de Pilates podem ser uma opção de exercício eficaz e seguro para as mulheres que estão em recuperação aos tratamentos de câncer de mama, no entanto, são necessárias mais pesquisas.


Categories: Pilates

Post Your Thoughts